WiFi – A Conexão Indispensável

O WiFi ao longo dos anos só ganhou importância, por ser uma conexão rápida, que permite que o usuário se mova livremente dentro da sua área de alcance, de alta velocidade e muito acessível devido ao baixo preço dos roteadores. A rede WiFi universalizou-se de tal forma que hoje pode ser encontrada em ônibus, aviões, diversos ambientes públicos como praças e parques, e está sendo agregada a cada vez mais produtos como impressoras, vídeo-games e outros eletrônicos que podem conectar-se à Internet ou a outros dispositivos. O WiFi consiste num conjunto de regras para as redes de Internet sem fio chamada WLAN vinculada ao padrão IEEE 802.11, assim é possível que vários computadores, celulares e vários outros dispositivos se conectem entre si e com a Internet.

Para a conexão de WiFi ser possível é necessário que o aparelho em uso tenha suporte a este tipo de tecnologia e que e haja um roteador devidamente configurado no local. Roteador é o aparelho responsável pela propagação do sinal de Internet via WiFi. As redes configuradas nele podem ou não possuir senhas, no caso de redes públicas o WiFi não costuma ter senha ou é utilizada uma senha padrão; já no caso das redes particulares elas costumam ter uma senha e, às vezes, algum outro método de autenticação vinculado, como forma de aumentar a segurança da mesma. Atualmente até mesmo operadoras de telefonia fixa e móvel oferecem planos com acesso a “hotspots”, ou seja, locais onde se pode-se acessar a Internet banda larga cedida pela empresa via WiFi.

Segurança e tecnologias WiFi utilizadas

Por ser uma rede de fácil detecção e compatível com uma grande gama de aparelhos, a principal preocupação de qualquer proprietário de uma rede WiFi é em relação à sua segurança, tanto no que concerne o uso indevido quanto a invasão de computadores ou acesso aos arquivos privados, por isso é recomendável que, se o usuário não tem muito conhecimento das configurações, se contrate um técnico da sua confiança para garantir que tudo seja devidamente configurado e evite este tipo de transtorno. Caso você mesmo esteja configurando sua rede, opte sempre pelo tipo de segurança WAP ou WAP-2, evite criar uma rede com a segurança definida como do tipo WEP, pois ela é considerada mais vulnerável a ataques.

As redes WiFi são divididas basicamente em 3 tipos: B, G e N, nomeadas como 802.11b, 802.11g e 802.11n. Esta topologia costuma estar estampada em manuais de celulares, computadores e roteadores, e indicam qual a tecnologia que aquele aparelho tem acesso. A diferença entre elas é a velocidade de transmissão de dados. A rede tipo B transmite em velocidades de até 2 megas, a tipo G em velocidades de até 54 megas e a tipo N, que é a mais recente e mais poderosa, ultrapassa facilmente a barreira dos 100 megas de velocidade. É importante lembrar que, assim como na rede móvel o celular que possui apenas 3G não pode acessar o 4G, no caso do WiFi os aparelhos com o tipo de rede mais recente consegue acessar os anteriores, um computador com suporte a rede tipo N, por exemplo, pode acessar as redes do tipo B e G; já um aparelho com suporte apenas à tecnologia B é incapaz de acessar as demais.

A conexão a uma rede WiFi é extremamente simples, bastando identificar a rede que se deseja conectar numa lista de redes, selecioná-la e inserir a senha, se houver. Após isso, o usuário já estará apto para usufruir da conexão com a Internet, exceto em casos em que há necessidade de uma segunda conexão como ocorre em redes corporativas ou de hotéis.